Novos dirigentes do TRT 16 (MA) tomam posse

Vice-presidente da Anamatra, Luiz Colussi, prestigiou a solenidade

O vice-presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Luiz Colussi, participou, nessa quinta, da solenidade de posse dos novos dirigentes do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região (TRT 16/MA) para o biênio 2020/2021. A cerimônia foi realizada na Sala de Sessões do Tribunal Pleno, em São Luís (MA).

Vice-presidente e corregedor do TRT-MA na última gestão, o desembargador Américo Bedê Freire foi empossado no cargo de presidente. Já o novo vice-presidente e corregedor é José Evandro De Souza, que ocupou o cargo de desembargador-ouvidor no biênio anterior. 

Os magistrados foram eleitos, por aclamação, no dia 10 de outubro deste ano, durante Sessão Administrativa realizada na Sala de Sessões do Tribunal Pleno. O desembargador Américo Bedê destacou que pautará sua administração na fé e na união, principalmente, para superar as dificuldades que surgirem.

Também foram empossados os desembargadores Ilka Esdra Silva Araújo e James Magno Araújo Farias nos cargos de diretora e vice-diretor da Escola Judicial do Tribunal, respectivamente. Já na Ouvidoria, a desembargadora Márcia Andrea Farias da Silva assume como ouvidora titular e o desembargador Gerson de Oliveira Costa Filho como ouvidor substituto.

Em sua fala, o vice-presidente da Anamatra, Luiz Colussi, lembrou que a defesa e a valorização da Justiça do Trabalho devem estar sempre no horizonte daqueles que integram este ramo tão fundamental para a sociedade. O magistrado reconheceu o período de extrema dificuldade, de graves ofensas aos direitos sociais, e de ameaça de extinção da Justiça do Trabalho, mas, segundo Colussi, essa realidade não deve esmorecer e nem intimidar seus integrantes. “Pelo contrário, o momento atual deve fazer do juiz do trabalho, cada vez mais, um bravo defensor da cidadania e da sua própria carreira, sempre preparado para cumprir com o juramento feito quando tomou posse no cargo, ou seja, cumprir a Constituição e as Leis do nosso País”, encorajou.

Para Colussi, na sociedade em crise em que se vive, é fundamental que exista um sistema judiciário que permita o cumprimento das normas constitucionais e legais de proteção ao trabalho. “Sem a Justiça Especializada do Trabalho, não se teria condição de conceder aos cidadãos a devida efetividade das normas trabalhistas, nem haveria suporte ao direito laboral.

Ao fim de sua explanação, Colussi afirmou ter convicção de que a nova administração do TRT 16 está preparada para enfrentar todos os desafios propostos, tendo como base maior o “diálogo com magistrados e servidores e com a sociedade em geral, como uma ferramenta importante para a superação das barreiras e dificuldades, fazendo uma gestão de diálogo, compartilhada com todos, visando o bem comum, o bem da justiça do trabalho maranhense e brasileira, e o cumprimento da Constituição Cidadão”, felicitou.

Américo Bedê Freire
Natural da cidade de Belém (Pará), ingressou na magistratura em 15/5/1990, após concurso público para juiz do trabalho substituto do TRT 16. Tomou posse como juiz togado do TRT em 19/3/1999. Foi presidente do Regional no biênio 1999/2001 e vice-presidente no biênio 2001/2003. Eleito, exerceu o cargo de presidente da Amatra 16, no biênio 1992-1994. Foi aprovado no concurso para professor da Faculdade Federal do Pará, na cadeira de Direito Administrativo e nos concursos para procurador autárquico do INSS, fiscal do trabalho e advogado do Banco da Amazônia (BASA), tendo exercido o cargo de advogado do BASA de 1979 a maio de 1990.

José Evandro de Souza
Natural de Fortaleza (Ceará). Bacharel em Direito formado pela Universidade Federal do Ceará (1980), iniciou suas atividades como Assessor Jurídico do Município de Barro, de 1982 a 1984. Foi advogado do Município de Fortaleza, de 1985 a 1986, e chefe do Serviço de Exame de Documentos na Procuradoria-Geral do Município, de 1987 a 1988. Foi, ainda, coordenador chefe da Procuradoria Jurídica do Instituto Dr. José Frota (Autarquia Municipal - Hospital de Emergência de Fortaleza), de 1989 a 1990. Assumiu como juiz substituto no TRT 16 em 3/12/1990. Como juiz substituto, ocupou as presidências das então Juntas de Conciliação e Julgamento (JCJs) de Imperatriz, Balsas, Açailândia, Pinheiro, Bacabal e Caxias. Foi promovido, em dezembro de 1993, a juiz do trabalho presidente, à época, da JCJ de Chapadinha-MA e depois removido para a presidência da então 1ª JCJ de São Luís, em fevereiro de 1997. Assumiu como juiz togado do TRT em maio de 1999 e, no biênio 1999-2001, foi vice-presidente do Tribunal. Em maio de 2003, foi eleito, por unanimidade, presidente do TRT-MA, tendo sido empossado no cargo de presidente no dia 27 de junho de 2003, onde ficou até o dia 24 de junho de 2005. Foi vice-diretor da Escola Judicial no biênio 2016-2017.

Receba nossa newsletter

Menu