Anamatra defende o estabelecimento de uma cultura de prevenção a acidentes do trabalho

Vice-presidente Luciana Conforti concedeu entrevista à Rádio Justiça sobre o tema

Em alusão ao Dia Nacional da Prevenção de Acidentes do Trabalho, celebrado nessa quarta (27/7), a vice-presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Luciana Conforti, concedeu, nesta quinta (28), entrevista à Rádio Justiça.

A magistrada lembrou que o tema é de grande relevância para a Justiça do Trabalho, que tem atuado de forma contundente para conscientizar a população sobre a importância da prevenção de acidentes e doenças do trabalho. Para Conforti, além do uso dos chamados Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), é necessário analisar cada atividade laboral, para que se construa um planejamento que identifique os seus riscos específicos, de modo a evitar os acidentes. “Muitos acidentes podiam ser evitados se houvesse um planejamento mínimo das atividades e uma preocupação com a segurança”, avalia.

Ao falar da importância de tratar deste tema no âmbito das escolas, a vice-presidente da Anamatra citou o trabalho desenvolvido pelo Programa Trabalho, Justiça e Cidadania (TJC), iniciativa da entidade, que leva conhecimentos básicos sobre direitos dos trabalhadores a estudantes de escolas públicas de todo país, inclusive sobre prevenção a acidentes do trabalho. Nesse sentido, Conforti afirmou que é primordial o estabelecimento de uma cultura de prevenção a acidentes de trabalho, lançando mão de discursos que dizem que o uso dos EPIs atrapalha o trabalho e gera burocracia, por exemplo. “Nós temos sempre que cultuar a proteção, pois vemos que ela é efetiva e reduz o número de casos, não só dos acidentes, mas dos adoecimentos também”, apontou.

Confira a entrevista na íntegra.

Saiba mais sobre o TJC.

Sobre a data
Dia Nacional da Prevenção de Acidentes do Trabalho tem o objetivo de alertar empregados, empregadores, governos e sociedade civil para a importância de práticas que reduzam o número de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, promovam um ambiente seguro e práticas saudáveis em todos os setores produtivos. A data tornou-se oficial em 1972, depois de regulamentada a formação técnica em Segurança e Medicina do Trabalho e, diante das estatísticas recentes, a discussão de medidas que promovam uma prevenção mais efetiva ainda se mostra urgente.

Situação preocupante
De acordo com dados da Organização Internacional do Trabalho (OIT), uma pessoa morre no mundo a cada 15 segundos em função de um acidente ou de alguma doença relacionada à sua atividade profissional. Só em 2021, foram 571,8 mil acidentes de trabalhos foram registrados, de acordo com dados do Observatório de Saúde e Segurança do Trabalhador, do Ministério Público do Trabalho. O levantamento do Observatório também revela que 2,5 mil dessas notificações de acidentes resultaram em mortes.

A maior parte das ocorrências são relativas a cortes e lacerações, com 21% dos casos, fraturas vêm em segundo lugar, com 18%. O setor hospitalar é aquele com mais notificações (quase 548 mil casos), seguido de perto pelo comércio varejista, com predominância de produtos alimentícios (hipermercados), com aproximadamente 198 mil notificações.

Receba nossa newsletter

SHS Qd. 06 Bl. E Conj. A - Salas 602 a 608 - Ed. Business Center Park Brasil 21 CEP: 70316-000 - Brasília/DF
+55 61 3322-0266
Encarregado para fins de LGPD
Dr. Marco Aurélio Marsiglia Treviso
Diretor de Prerrogativas e Assuntos Jurídicos da Anamatra