Trabalho escravo: Anamatra participa de Oficina para Validação do II PNETE

 Diretor de Cidadania e Direitos Humanos, Marcus Barberino, representou a entidade no encontro virtual

O diretor de Cidadania e Direitos Humanos da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Marcus Barberino, participou, nesta segunda (3/8), da Oficina para Validação do II Plano Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo (PNETE), realizada pela Comissão Nacional para Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae).

Na ocasião, com os participantes divididos em grupos, deu-se continuidade às discussões em torno do cumprimento dos indicadores por eixo. São eles: ações gerais; reinserção e prevenção; informação e capacitação; repressão econômica e monitoramento legislativo; além de enfrentamento e repressão.

Na reunião anterior, realizada no último dia 22 de julho, foram analisados os indicadores relacionados à informação e capacitação. Na tarde de hoje, os integrantes da Conatrae avaliaram os indicadores referentes a ações gerais.

O Plano Nacional é composto por seis eixos, 66 ações, 33 indicadores e 364 ações monitoradas. Após alguns anos do lançamento do Plano e da implementação de atividades por muitas organizações que fazem parte da Conatrae, ou que atuam em ações de combate ao trabalho escravo no Brasil, buscou-se realizar o monitoramento dessas ações, e a consequente avaliação do Plano, a partir de indicadores construídos e validados pela própria Conatrae.

O ciclo de monitoramento consiste na coleta e análise informações sobre as ações do Plano que foram desenvolvidas entre os anos de 2015 e 2018, por parte das organizações que foram convidadas, e aceitaram participar deste ciclo de monitoramento.

Receba nossa newsletter

Menu