Mulheres no sistema de Justiça: Anamatra participa da primeira reunião do grupo de trabalho do CNJ

Magistradas traçam primeiras ações do gupo, entre elas realização de pesquisa entre magistradas

A vice-presidente da Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), Noemia Porto, participou, nesta quarta (07/11), da primeira reunião do grupo de trabalho criado para elaboração de estudos, análise de cenários, eventos de capacitação e diálogo com os tribunais sobre o cumprimento da Resolução CNJ 255/2018, que instituiu a política nacional de incentivo à participação institucional feminina no Poder Judiciário.


No encontro, propôs-se a realização de um seminário nacional constituído a partir de um eixo mais geral: ”Judiciário e carreira - o gênero importa?”, voltado a magistrados e servidores de todo o Brasil. O evento comtemplaria mesas temáticas e debates, tendo como convidados ministros, magistrados, professores, pesquisadores, sociólogos e outros estudiosos do assunto. A proposta é que o seminário seja realizado em março de 2019, em Brasília. A ideia segue em elaboração.


Discutiu-se, ainda, a disponibilização de um módulo de curso on line (EAD), com linguagem acessível, conteúdo simples, tendo em vista a necessidade de se desenvolver uma comunicação eficiente e positiva, para promover uma cultura de respeito à igualdade e à diversidade. O curso seria voltado para os trabalhadores dos setores de comunicação dos diversos tribunais brasileiros. Na era da informação, esse aperfeiçoamento é fundamental. A proposta foi muito bem aceita e entrou em análise de viabilidade.


Pesquisa – Também se debateu a elaboração de questionário, a cargo das integrantes do grupo de trabalho, a ser introduzido em pesquisa sobre o perfil dos magistrados, realizada pelo CNJ. O objetivo é desenvolver um modelo de entrevista semiestruturada, com algumas questões predefinidas, mas com campos abertos para o registro de impressões de magistradas de todo o Brasil. A ideia do comitê é coletar e sistematizar os dados para o lançamento de um relatório completo que possa servir de norte na adoção de medidas que tenham por finalidade conferir efetividade à Resolução CNJ 255/2018.


Na avaliação de Noemia Porto, a primeira reunião do grupo foi produtiva. “Há empenho no desenvolvimento de ações concretas voltadas à melhor compreensão dos problemas que circundam a temática da igualdade de gênero, dentro e fora do Judiciário”, afirmou. 

As próximas reuniões do grupo de trabalho foram agendadas para os dias 21 de novembro e 12 de dezembro de 2018.

Receba nossa newsletter

Menu