Frentas discute momento político atual do país

Entidades reforçam que o cenário atual não permite a votação das reformas trabalhista e previdenciária

O presidente da Anamatra, Guilherme Feliciano, participou nesta quarta-feira (14/6) de reunião da Frente Associativa da Magistratura e do Ministério Público (Frentas) para discutir o momento político-econômico atual pelo qual passa o país. As entidades veem com preocupação o andamento das reformas trabalhista e previdenciária em um cenário de graves crises. Esta foi a primeira reunião da nova coordenação da Frentas com o presidente da Associação Nacional dos Juízes Federais (Ajufe), Roberto Veloso.

Durante a reunião, as entidades que integram a Frentas firmaram o entendimento de que o cenário político que o país vive não é compatível com a magnitude das reformas pretendidas pelo governo e compromete seriamente a votação e o andamento destes projetos. “Chegamos a um consenso de que agora não é o momento certo para a discussão dessas reformas”, declarou o coordenador da Frentas. 

O presidente da Anamatra ratificou o posicionamento, lembrando que “o governo não pode deixar que propostas tão prejudiciais continuem tramitando normalmente no parlamento, uma vez que o clima não é de normalidade, mas sim de cautela. É necessário que as propostas sejam suspensas, de imediato, até que o cenário político esteja favorável para retomar as discussões”.

Frentas – Além da Anamatra, estiveram presentes os representantes das entidades que fazem parte da Frente: Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), Associação Nacional dos Procuradores do Trabalho (ANPT), Associação dos Juízes Federais do Brasil (AJjufe), Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Associação Nacional do Ministério Público Militar (ANMPM), Associação do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (AMPDFT) e Associação dos Magistrados do Distrito Federal e Territórios (Amagis-DF).

Receba nossa newsletter

Menu